Resenha : Amada Imortal-Cate Tiernan

imortal

Nastasya tem pouco menos de 500 anos e uma vida fabulosa, cercada de amigos descolados, com muita festa e bebedeiras épicas. E é isso. SÓ isso.Ou era, até o dia em que seu melhor amigo, Innocencio, passa dos limites com sua Magick, fere gravemente um homem e faz Nasty repensar toda sua vida. De que adianta viver para sempre se não se faz nada de bom com a vida?

Perdida e confusa, Nasty decide partir em uma viagem incerta, esperando encontrar em outro continente algo que buscou a vida inteira dentro de si – mesmo sem saber. E é aí que uma lembrança muito antiga vai ajudá-la a mudar de vida – ou, ao menos, tentar.River é uma imortal muito antiga – mas muito MESMO! – que tem uma espécie de casa de reabilitação para imortais que gostariam de lidar melhor com seus “dons”. Lembram que falei lá em cima de Magick? Então, isso nada mais é que uma espécie de energia natural dos imortais que, se não controlada e bem trabalhada, pode acabar sendo direcionada para coisas negativas – como o que Innocencio fez.Só que, claro, Nasty não é a única imortal procurando se reabilitar. Na casa de River temos gente de todo o tipo, novos e antigos, bacanas, fechados, simpáticos… Além da popular e do bonitão – Reyn. *suspiros*Se Nastasya já tem uma dificuldade enorme de se encaixar por conta de sua insegurança quanto sua índole, sua aparência meio doentia e largada não ajuda muito, principalmente se estamos falando da linda-e-perfeita Nell. E as coisas se enrolam ainda mais quando o lindo-e-misterioso-deus-nórdico Reyn entra na equação para mexer com seus nervos e com a irritação e o ciúme de Nell.O livro todo gira em torno de Nasty e sua busca por si mesma, pelo que há de bom dentro de seu coração. Narrado em primeira pessoa, a história é envolvente e agradável – apesar de pouco desenvolvida. Acompanhamos o dia a dia da casa, com aulas, tarefas bem distribuídas e uma monotonia quase irritante, mas essencial para a vida da protagonista.A verdade é que o livro inteiro se desenvolve pouco. A escrita da autora, o humor ácido de Nasty, e o próprio pano de fundo são deliciosos de acompanhar, é quase impossível de largar! Mas, ainda assim, a história não anda muito. Não temos longos diálogos ou cenas de ação de tirar o fôlego, mas me senti presa ao livro até chegar ao final!Acho que o livro só tem três pontos negativos: o título enganador (não combina em nada!), a passagem de tempo meio bizarra (Isso tudo acontece em dois meses?! Oi?!) e a história dos amigos de Nastasya, que se perde em certo momento. Acredito que esse último ponto vá, claro, se esclarecer no próximo volume, mas senti falta de mais informações nesse.O cenário criado por Cate Tiernan é simples, e sua falta de complexidade torna a leitura ainda mais prazerosa. Não existe uma grande explicação mágica para o surgimento dos imortais, eles simplesmente estavam lá desde sempre. E isso basta.O livro é um young adult de primeiríssima qualidade, de escrita fluida e envolvente, com altas doses de humor e uma boa pitada de drama adolescente (apesar dos personagens serem adultos, vai entender, hehe). Nastasya, River e até Reyn conseguem ser cativantes e adoráveis – enquanto outros são apenas detestáveis, como Nell -, nos deixando apaixonados por sua história e torcendo para que tudo dê certo no final.Por trás de toda a simplicidade do primeiro volume há uma história mais complexa envolvendo as Casas Imortais, a própria Nastasya e tudo o que ela viveu, e o que promete ser um enoooorme gancho para os próximos dois livros que completam a trilogia. Isso sem contar os amigos de Nasty, que estão loucos de saudade e sentindo sua falta…Estava precisando de um YA sobrenatural que fosse além de humanos se apaixonando por criaturas, e todo o drama habitual. Recomendo muito, muito, muito, especialmente para quem ama um bom livro com uma pitada de romance e boas horas de leitura garantidas!

Anúncios

Resenha : Quem é você, Alasca ?

 

BeFunky_Chromatic_1.jpg

 

O Primeiro Amigo, a Primeira Garota, as Últimas Palavras – John Green

Sinopse:  Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao “Grande Talvez”.

Comentários de um leitor que gostou  e recomendou :

“Em busca de um grande talvez

Existem livros que te fazem ver que a vida é engraçada e você morre de rir de situações imprevisíveis e hilárias.

Existem livros que vão te fazer morrer de amores por um garoto ou por uma garota e ver que a vida é uma eterna busca pelo grande talvez, aquela possibilidade intrinseca de ver que a vida valhe a pena, que você tem amigos, familia e pessoas que você ama e que te amam.

Existem livros que vão fazer você se debulhar em lágrimas, vão fazê-lo ficar horas se perguntando qual é o real sentido da vida, se existe esperança e qual o objetivo em continuar vivendo.

Existem livros que vão te encher de duvidas em relação a tudo em que você tinha convicções fortes e formadas e te deixarão perplexo diante da sua incapacidade de compreender tudo.

Existem livros que não vão te dar uma resposta mas vão te mostrar um caminho para ela, um caminho de esperança em construir um sentido e não se sentir tão perdido assim no labirinto da vida.

Existem livros que vão te encher de esperança na possibilidade de não se desesperar para sair do labirinto rápido e diretamente e sim fazer com que você lute pela busca de um grande talvez e a partir dele encontre sua saída do labirinto.

Existem livros, vários livros. Este livro do John Green foi o que melhor me mostrou tudo isso e muito mais.

Então, ignore o fato de achar a capa ou o nome feios ou incompativéis, a beleza da história está a partir da primeira página, quando você é convidado para juntamente com Miles ir em busca do grande talvez, e acaba indo para Culver Creek, um internato onde conhece seus melhores amigos – Coronel, Takumi, Lara – e o amor da sua vida – Alaska.

Então amigos, o que estão esperando? Corram, corram, corram. ”

tumblr_mmo69dHb9m1sqqrxxo1_500

Emfim o resumo :

Este livro surpreendente tem como protagonista Miles Halter, um garoto magro, solitário, desprovido de amigos e da companhia de uma garota, fascinado pelas últimas palavras de pessoas à beira da morte. Quando ele encontra a frase derradeira do poeta François Rabelais – “Saio em busca de um Grande Talvez” -, toma uma súbita decisão.Ele não quer deixar para realizar esta descoberta quando estiver morto, o que o leva a ir para Culver Creek, escola na qual parte de sua família  estudou. É assim que Miles deixa a Flórida para se deparar com o clima quente do Alabama. Seus pais fazem questão de frisar que o garoto é livre para escolher seu próprio caminho, mas ele insiste nesta decisão.No colégio ele se torna amigo de Chip Martin, chamado por todos de o Coronel, um aluno mantido por uma bolsa de estudos e com um dom singular de guardar um número incrível de dados na memória. Sua principal característica é a aversão pelos ‘Guerreiros de Dia de Semana’, como são denominados os filhos da elite que aos finais de semana vão para as ricas residências de seus pais.Chip é o responsável por levar Miles a conhecer seus amigos, o garoto do Japão, Takuma, e Alasca, a misteriosa jovem de olhos  verdes. Ele logo percebe que, apesar de ser muito bonita, ela é também arrebatada, geniosa, instável e está envolta em uma aura enigmática. Além disso, é uma mulher sensual, pela qual todos caem de amores rapidamente. Só um pequeno detalhe: ela tem um namorado, Jake, estudante em Vanderbilt e baixista em uma banda.Alasca tem alguns pontos em comum com Miles, entre eles o amor pela literatura, elemento que remete o leitor e o protagonista a uma frase de Simón Bolívar coletada em uma obra de Gabriel Garcia Marquez – o livro dileto de Alasca – não por acaso as últimas palavras do estadista: “Como sairei deste labirinto”?Esta livre expressão de Bolívar desperta profundas meditações em Miles, nos seus amigos e certamente no leitor. Não é difícil concluir que todos nós somos tecidos pelas nossas vivências e pelas dores que experimentamos ao longo da jornada existencial; são estes fios que nos modelam e nos preparam para a vida.Desta forma, cada um tem um motivo para ser como é, exatamente como Alasca é assim por fortes razões. Esta obra enfoca o desenvolvimento de Miles, seus amigos, afetos, e o encontro com a vida e também com a morte. O livro é narrado na primeira pessoa pelo protagonista, que gradualmente vai retratando suas vivências. Várias lições aguardam o leitor, como, por exemplo, a importância do autoperdão, e questões religiosas abordadas de forma imparcial através do professor de Religião.John Green é escritor de livros juvenis. Ele já foi candidato ao Michael Printz Award For Excellence in Young Adult Literature duas vezes, por suas obras Quem é você, Alasca?, publicada em 2010 no Brasil pela editora Martins Fontes, e An Abundance of Katherines.

É isso ai galera  mais uma resenha para vocês , espero que tenham gostado e um grande Beijo !

 

Resenha :Trilogia Jogos Vorazes !

Ola meninas tudo bom?
Hoje eu fiz uma resenha com a trilogia de Jogos Vorazes.Quem ai também é fã?
filme-jogos-vorazes-imagem-1

Livro 1:Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?
jogos-vorazes

Livro 2-Em Chamas: Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.
em_chamas-jogos-vorazes

Livro 3-A esperança : Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução. A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra?
DSC07453 cópiaBom gente espero que vocês tenham gostado e até a próximo post 😀
Beijos!

Resenha : Um dia , David Nicholls .

 

 Image

O livro passa algumas lições de vida importantes, e tem momentos que te fazem realmente parar pra pensar no jeito que anda levando a sua própria vida. Emma e Dexter são completamente diferentes, e acabam amadurecendo de forma distintas.
Apesar de só vermos a vida dos dois uma vez por ano, você tem a sensação de que passou o ano todo com eles. E acompanhar a vida dos personagens por 20 anos, não é qualquer livro que te dá essa sensação!!
Emma e Dexter  se  conhecem no dia 15 de julho de 1988, não se conhecem, mas sim iniciam uma amizade, bem  no dia após terem se formado, quando não existe mais a possibilidade de se encontrarem pelo campus, frequentarem às mesmas festas ou se esbarrarem casualmente.
    No entanto, numa noite de bebedeira os dois conversam sobre muitas coisas, suas vidas, o futuro e seus objetivos. Os dois ficam com aquela sensação de “quero mais” e a partir daquele momento estabelecem uma relação muito forte de amor, mas não no sentido romântico da palavra.
   Os dois viram amigos, melhores amigos e a partir de então, encontramos com nossos protagonistas todo dia 15 de julho, durante vinte anos. Às vezes eles estão juntos, às vezes não e em alguma vezes eles estão até sem se falar. Mas somente nesse dia de cada ano podemos ver como a vida de cada um está andando.
    Se você acredita que esse é um livro sobre romance está enganado, ele fala sobre a vida em geral. Nossas vidas, e a forma como ela se molda a partir das escolhas que fazemos. É quase impossível ler o livro e não ficar pensando “E se tivesse feito isso…” Ou “E se Emma não tivesse feito aquilo?”. E Esse tipo de pensamento é o que temos quase diariamente nas nossas cabeças.
Espero  que  tenho  dado a vocês  uma dica  bem legal  🙂 , o livro  é encantador , e  recomendo  muiiito!!  até   o próximo post  Beijos!
                              Larissa  Santos .                                      

Resenha : A Hospedeira !

 Olaa galera  tudo  bom?

 Gente  hoje  trago a vocês  um dos  meu livros  preferidos , assim como a saga  Crepúsculo  ,A Hospedeira prende a gente  e  a cada passar   de página  a  curiosidade aumenta!! , para  ajudar a informar  a  vocês  trago  aqui  vários  comentários de alguns  leitores  🙂

Anderson Brito: Como não amá-la? Digo isso me referindo a Meyer, Peg (Peregrina), Mel, Pet? Digo isso me referindo à todas elas. (risos)

O talento em extrair emoções do leitor, talento já conhecido da autora Stephenie Meyer, e levar aos olhos, pele e coração. Pasmem! Não está somente na famosa saga vampiresca Twilight (Crepúsculo). Está também, se não mais forte, em “A Hospedeira” (The Host nos EUA). Trazendo o tema almas de outros planetas que são inseridas no corpo humano para um “bem maior”, ela cria uma poli-paixão entre três personagens.

Achei extraordinário a forma como ela conseguiu fazer de uma simples célula de humanos foragidos, o paraiso para quem ama a interação humana e sobreviência. Criou uma protagonista que se divide em duas para trazer ainda mais perspectiva ao leitor. Única! Nada de tecnologias super modernas, ou algo estilo “Independence Day”, foi algo que só as 587 páginas do livro podem explicar. Sabemos que só há um livro para esta história, mas torço para que a autora resolva nos presentear com algo mais relacionado a Melanie, Peg, Jared e Ian. Precisamos!

As vezes se arrasta mas é tudo para deixar o final ainda mais tenso e emocionante!
 

Letícia S. R : Amei o   livro. Confesso que no inicio achei chato e ate pensei em parar de le-lo. Só que eu decidi ler mais um pouquinho pra ver se a historia ficava boa, até o capitulo 10 nem tava gostando muito.   Mas a coisa mudou, eu começei a me interessar pelo livro e antes o que eu lia mais pra ver como era a historia se transformou de tal forma que eu nao conseguia parar de ler. Gosto do suspense que tem no livro, me deixa mais curiosa, e o que é mais impactante na minha opinião é que é uma historia tão improvavel com um final feliz impossivel de ser imaginado. Quando voce pensa que tudo acabou para Peg, que o final feliz ia ser só de Mel, voce se surpreende e ve que o final feliz pode ser para todos!!
Por  fim a  Sinopse:  
Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a “alma” invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

A Hospedeira – Stephenie Meyer.

 
Bom gente  é  isso  ai  espero  que tenham gostado  e para  quem vai ler  um boa  leitura  !
 
 Beijos ..
      Larissa  Santos .